Pular para o conteúdo principal

Carlos Chagas

A descoberta da doença de Chagas.

 https://geniosdaciencia.bioorbis.org/2019/06/carlos-chagas.html
Carlos Chagas. Fonte da imagem: revistavivelatinoamerica

Nome: Carlos Justiniano Ribeiro Chagas

Nacionalidade: brasileiro

Residência: Brasil

Nascimento: 9 de julho de 1879
Local: Oliveira, Minas Gerais

Morte: 8 de novembro de 1934 (55 anos)
Local: Rio de Janeiro
Causa: infarto

Cônjuge: Iris Lobo Chagas

Área: Medicina, Microbiologia, Parasitologia

Instituições: Instituto Oswaldo Cruz

Alma mater: Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, Universidade Federal do Rio de Janeiro 

Conhecido por: Descreveu completamente uma infecção, Doença de Chagas, Estudo da Malária, descoberta do Trypanosoma cruzi.

Carlos Justiniano Ribeiro Chagas foi um biólogo, médico sanitarista, cientista e bacteriologista brasileiro, que trabalhou como clínico e pesquisador. Atuante na saúde pública do Brasil, iniciou sua carreira no combate à malária.

Carlos-Chagas
Figura 2. Carlos Chagas e equipe do Instituto Oswaldo Cruz, em recepção a Albert Einstein. Fonte da imagem: ccead

Foi um grande gênio que é conhecido mundialmente por ter descrito uma doença tropical que afetava milhões de pessoas e muitas fatais. Com seu descobrimento ajudou a salvar muitas vidas.

HISTÓRIA DA DESCOBERTA DA DOENÇA DE CHAGAS


A doença de Chagas ou tripanossomíase americana tem uma história fascinante, pois seu estudo dependeu da dedicação, do espírito científico e da visão social do grande médico mineiro Carlos Ribeiro Justiniano das Chagas (Figura 3).

carlos-chagas
Figura 3. Carlos Chagas em seu laboratório. Fonte da imagem: orniudofernandes

Por volta de 1909 ele trabalhava na região de Corinto (Lassance), Minas Gerais, no combate à malária, que atingia os moradores e os trabalhadores da construção da Estrada de Ferro Central do Brasil, quando soube da existência de um inseto (o chupão ou barbeiro) que picava as pessoas enquanto dormiam. A partir dessa simples informação, fez todas as pesquisas que o levaram à descoberta do agente etiológico de uma doença desconhecida da ciência e de todos os aspectos de sua patologia, epidemiologia e profilaxia (medidas de prevenção).



Essa doença representou grande impacto social nas Américas, pois foi encontrada no México até a Argentina, com milhões de pessoas infectadas. Depois de vários anos de eficiente trabalho de profilaxia, a doença de Chagas, a partir de 2006, passou a ser encontrada apenas em alguns focos residuais no país. Entretanto, em decorrência de fatores variados, a doença tem apresentado alguma ressurgência.

A DOENÇA DE CHAGAS


A doença de Chagas, é causada pelo flagelado parasita Trypanosoma cruzi (Figura 4). A pessoa se contamina através dos insetos hematófagos, os barbeiros, sendo a espécie transmissora mais comum o Triatoma infestans (Figura 5).

Trypanosoma-cruzi
Figura 4. O protozoário Trypanosoma cruzi, visto pelo microscópico. Fonte da imagem: todamateria

O barbeiro adquire os tripanossomos ao sugar sangue de pessoas ou de animais silvestres contaminados, entre os quais se destaca o tatu, em cujas tocas o barbeiro costuma se abrigar. No ciclo da doença, os animais silvestres desempenham o papel de reservatórios naturais dos protozoários.



Os barbeiros, que também costumam se esconder em frestas de casas de pau-a-pique ou de barro, saem à noite para se alimentar de sangue. Após picar uma pessoa, geralmente no rosto (daí a denominação de barbeiro), o inseto defeca; se estiver contaminado, ele elimina tripanossomos junto com suas fezes. Ao coçar o local da picada, a própria pessoa se contamina com os protozoários, que penetram através do ferimento da picada e, pela corrente sanguínea, atingem diversos órgãos e tecidos.

Triatoma-infestans
Figura 5. O barbeiro Triatoma infestans. Fonte da imagem: mindenpictures

Um dos órgãos mais atingidos pelo Trypanosoma cruzi é o coração. Os protozoários penetram no músculo cardíaco, perdem o flagelo e tornam-se esféricos. A presença dos parasitas causa lesões que prejudicam o funcionamento do coração, o que leva à morte do doente geralmente antes dos 50 anos de idade.

EPIDEMIOLOGIA DA DOENÇA DE CHAGAS


Distribuição geográfica: o T. cruzi é encontrado desde o sul dos Estados Unidos até o norte da Argentina; entretanto, a doença de Chagas humana só é observada nas regiões pobres dessa ampla distribuição geográfica, onde há uma grande destruição ambiental e uma alarmante injustiça social e econômica.

Forma de transmissão: tripomastígota metacíclico presente nos dejetos (fezes e urina) do barbeiro (Figura 6).

Veículo de transmissão: na pele lesada (arranhada pelo prurido ou no orifício da picada do barbeiro) ou conjuntiva normal do paciente, por formas infectantes (tripomastigotas metacíclicos) presentes nos dejetos de barbeiros positivos.

Figura 6. Ciclo de vida do Trypanossoma cruzi. Fonte da imagem: megatimes

Entre os animais pode haver a contaminação por ingestão de barbeiros infectados. Recentemente na Amazônia e em Santa Catarina tem ocorrido numerosos casos humanos a partir de ingestão de suco de açaí ou do caldo de cana. No caso do açaí a contaminação se dá durante o preparo sem higiene do suco, em barracões abertos, quando o barbeiro contaminado cai no momento de se preparar e ingerir o suco. No caso da garapa, o fato ocorreu ao se moer cana, em cujo feixe havia barbeiros escondidos. Esses casos são acidentais, mas alertam para a necessidade de higiene ao se preparar esses alimentos oriundos de plantações onde existem barbeiros silvestres contaminados.

Outro veículo de transmissão importante é a transfusão sanguínea, responsável por diversos casos em pacientes internados que receberam sangue sem que se tenha feito uma seleção correta do doado, mas tem importância epidemiológica reduzida.

MEIOS DE PREVENÇÃO CONTRA A DOENÇA DE CHAGAS


Como a doença de Chagas é um problema muito mais social e ambiental do que médico, a profilaxia eficiente e duradoura dessa doença requer, obviamente, uma solução dessa grande anomalia na estrutura social e economia que impera em diversas regiões da América Latina. Nessas regiões, a profilaxia tem que passar pelo processo de crescimento da comunidade, quer seja através de uma conscientização da liderança local, quer seja por um processo de estímulo de lideranças políticas engajadas no crescimento da sociedade como um todo. Ou seja, a verdadeira profilaxia da doença de Chagas surte um enorme efeito sobre as demais pragas da região (analfabetismo, subnutrição, verminoses, apatia, submissão política e religiosa) e sobre todo o país.

Figura 7. Na imagem mostra uma criança com o barbeiro Triatoma infestans, prestes a pica-lá. Fonte da imagem: sitiodopicapauangolano

Entretanto, como medidas de ação imediata recomenda-se:

- Educação sanitária e ambiental da população;
- Melhoria das habitações, rebocando e caindo as paredes, e ensinando regras básicas de higiene doméstica, como limpeza semanal atrás dos móveis, quadros ou retratos dependurados nas paredes;
- Combate ao vetor através de pulverização de inseticidas (piretróides) de efeito residual longo (de seis meses a um ano).

É inegável a contribuição de Carlos Chagas na ajuda da descoberta dessa doença que ataca milhares de pessoas. Por isso ele deve ser lembrado e repassar para frente os ensinamentos do que ele descobriu sobre a doença.

Referências
AMABIS, José Mariano; MARTHO, Gilberto Rodigues. Biologia dos Organismos, Classificação, Estrutura e Função nos Seres Vivos. Volume 2. Editora Moderna. 1998.
NEVES, David Pereira; FILIPPIS, Thelma. Parasitologia Básica. 2ª edição Editora Atheneu. 2010.

Para finalizar veja um vídeo do canal Canal Futura, sobre Um Cientista, Uma História | Carlos Chagas:


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Barbara McClintock

Marie Curie

Leonardo da Vinci