Pular para o conteúdo principal

A grande corrida do mundo animal

Preparados para a corrida, estão os animais mais rápidos e velozes do mundo, mas para saber que eles são os mais velozes do mundo, alguém teve que fazer uma grande descoberta.


Fonte da imagem: Wikipedia/Autor Bain News Service, publisher


O cientista americano Roy Chapman Andrews que durante 16 anos dirigiu o Museu de História Natural de Nova Iorque — viajava de jipe por uma planície da Índia, perto da fronteira com o Nepal, quando avistou um animal que trotava em meio ao capim denso, acompanhando de longe a marcha do veículo. Era um chita, espécie de leopardo que os hindus costumam domesticar para caçar antílopes. Acelerando o jipe, o naturalista percebeu que o animal também apressava o passo, a fim de não ficar para trás. Resolveu então verificar qual a marcha necessária para fazê-lo desistir do jogo. E acabou tendo que reconhecer que, para isso, precisaria de um carro mais potente: a 110 km/h, o chita continuava emparelhado e demonstrava plena disposição em prosseguir na disputa.


Leia também:


Quem corre, não morre


Arma de ataque e defesa, a velocidade é um dos meios mais usados pelos animais como forma de assegurar a sobrevivência.. É correndo a toda que os antílopes e gazelas se furtam às garras do leão. E é graças rapidez fulminante com que investe que rei dos animais mantém seu prestígio de grande caçador. Suas velozes arrancadas, entretanto, são curtas: o leão não consegue manter a "marcha de ataque" durante muito tempo já o mesmo não ocorre com a chita, o mais veloz dos animais além de rápido, tem resistência excepcional, aguentando longas disparadas à velocidade máxima.


Muitos dos mamíferos mais velozes estão entre os herbívoros. Tanto os cavalos como as girafas e os cangurus, por exemplo, galopam sem grande esforço a 50 km/h. Os mamíferos aquáticos também são animais de marcha ligeira. No caso dos golfinhos, 40 km/h é a velocidade média. Mas esses cetáceos são capazes de nadar ainda mais depressa. Mesmo assim, o peixe-vela os deixa facilmente para trás, pois costuma alcançar 110 km/h, quando viaja acelerado.


O voo permite às aves uma grande rapidez de movimento. Mas nem só as aves voadoras se deslocam com ligeireza. O avestruz, mesmo sem voar, é um velocista respeitável, que corre galhardamente a 80 km/h. Em terra, água e ar a grande corrida Se competissem, numa grande prova coletiva, todos os mamíferos, mais os insetos, peixes, répteis e aves, logo de início urna dupla despontaria na liderança: o falcão-peregrino e o gavião-indiano. Seguindo-os de perto, viria outra dupla: a águia-real e o pato-selvagem.


Por terra, mais atrás, o chita-indiano e a gazela-da-Mongólia ocupariam o terceiro lugar. Em quarto, num pelotão aéreo, estariam o ganso-do-Canadá, o corvo, a libélula, o estorninho, o mocho-orelhudo, a gaivota, o pelicano, o morcego e a abelha.


Em terra, acompanhando-os a certa distância, viria o pelotão constituído pelo gnu, o cavalo, a lebre, o galgo, o avestruz, o emu, o bisão, a raposa, o javali, a girafa, o homem, o camelo e o elefante. Na retaguarda, naturalmente, estaria a tartaruga.


Liderados pelo peixe-vela e pelo peixe-vela, os competidores aquáticos se colocariam assim: atum, peixe-voador, baleia, fim, truta, pinguim, enguia, castor, camarão.


Leia também:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Homero: o poeta das epopéias

Teoria da aprendizagem

História e arte de Johann Sebastian Bach